Edição Nº 51 - Julho/Agosto de 2011 - Ano X
10233 visualizações
O homem e a degradação ambiental


O homem e a degradação ambiental



por Gilson Marcos
A depredação do meio ambiente é grave em todo o mundo. Diante das transformações econômicas, políticas, sociais e culturais elas contribuem cada vez mais para aumentar as agressões ao meio ambiente. A sociedade ainda não se conscientizou da importância de preservar os recursos naturais para sua sobrevivência.
O ambiente natural está sofrendo uma exploração excessiva que ameaça a estabilidade dos seus sistemas de sustentação (exaustão de recursos naturais renováveis e não renováveis, desfiguração do solo, perda de florestas, poluição da água e do ar, perda de biodiversidade, mudanças climáticas etc). Por outro lado, o resultado dessa exploração excessiva não é repartido equitativamente e apenas uma minoria da população planetária se beneficia desta riqueza.
O homem é o único animal que modifica a natureza com seu trabalho, muitas vezes de forma irreversível. A sociedade moderna intensifica de tal forma esse processo que compromete a vida no planeta. O objetivo? Aumentar o lucro – o que faz todo sentido no modelo social capitalista. Todavia, essa ganância tem um custo alto, já visível nos problemas causados pela poluição do solo, do ar e da água, na extinção de animais e vegetais, escassez de água e muitas áreas foram destruídas em nome da urbanização e do crescimento.
As mudanças no clima são cada vez mais visíveis, como o aumento da temperatura, (aquecimento global), mudanças climáticas, efeito estufa, ilhas de calor, inversão térmicas, chuvas demais em alguns países e seca (desertos) em outros, o planeta esta mesmo mudado, isso tudo é resultado das transformações humanas.
A preocupação com o meio ambiente caminha a passos lentos no Brasil, ao contrário dos países desenvolvidos, principalmente em função de prioridades ainda maiores como, por exemplo a pobreza, as desigualdades sociais e outros. As carências em tantas áreas impedem que sejam empregadas tecnologias/investimentos na área
ambiental. Dessa forma, estamos sempre atrasados com relação aos países desenvolvidos e, com isso, continuamos poluindo e desmatando.
Ao mesmo tempo, cresce a tomada de consciência ecológica e se desenvolve a legislação ambiental. Em algumas regiões, a destruição vem sendo interrompida ou mesmo revertida. O conhecimento de que as substâncias descartadas, que poluem o meio ambiente, são matérias-primas e energia desperdiçadas faz a reciclagem ganhar espaço. Processos industriais limpos – por exemplo, com o uso de filtros para evitar a poluição atmosférica ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade