Edição Nº 102 - Janeiro/Fevereiro de 2020 - Ano XVIII
446 visualizações
Extrair água do leite para reúso industrial é opção que cresce para substituir fontes naturais


Extrair água do leite para reúso industrial é opção que cresce para substituir fontes naturais



por Cristiane Rubim

 

Você sabia que o leite tem entre 12% e 13% de elementos sólidos e, por incrível que pareça, cerca de 87% de água, de acordo com Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa?(1) E essa água do leite após tratamento pode ser utilizada na indústria, de acordo com a Nestlé Brasil, para reposição de água de caldeira, água de torre de resfriamento, processo e água para limpezas das instalações industriais? Estas perguntas nos levam a outras, por exemplo: De quais outras fontes o homem ainda pode tirar água para substituir as fontes naturais de água?
Pois bem, segundo a Embrapa, entre os elementos sólidos, estão os lipídios (gordura), carboidratos, proteínas, sais minerais e vitaminas. O principal carboidrato do leite é a lactose produzida pelas células epiteliais da glândula mamária. A quantidade de água do leite e o volume de leite produzido pela vaca dependem da quantidade de lactose secretada na glândula mamária. A água é o elemento em maior quantidade no leite. Já o restante, por exemplo, é transformado em leite em pó. A água comum é igual à água do leite, uma prova é quando se dissolve leite em pó na água e se obtém o leite líquido(2).

Área em ascensão
O processo de extrair água do leite, filtrar e fazer reúso industrial da água nas empresas de laticínios, especificamente nas unidades da Nestlé Brasil, já está bem avançado. Hoje, a empresa possui cinco fábricas com tecnologia de filtração para reúso industrial da água de leite em Araçatuba (SP), Ibiá (MG), Ituiutaba (MG), Goiânia (GO) e Montes Claros (MG).
As três primeiras fábricas citadas têm até 40% do volume total de água consumida pela planta abastecido por água de leite de vaca. Enquanto a fábrica de Dolce Gusto, em Montes Claros, e a unidade de Goiânia já são “Zero Água”, ou seja, 100% do volume total de água consumida por estas duas plantas é abastecido pela água do leite, elas não captam água de fontes externas, como de rios e águas subterrâneas.
Para o mercado Brasil, em geral, essa é uma área em ascensão, mas ainda há alguns desafios. “É preciso, por exemplo, disseminar conhecimento e até mesmo aprofundar o aprendizado sobre as tecnologias e processos envolvidos e também ter legislações e regulamentações mais claras para o reúso de água na indústria” – afirma Cristiani Vieira, ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade