Tintas Automotivas: Filtros Industriais e suas aplicações
Edição Nº 96 - Janeiro/Fevereiro de 2019 - Ano XVII
Esta notícia já foi visualizada 4268 vezes.


Tintas Automotivas: Filtros Industriais e suas aplicações



por Rogério Jardini e Carla Legner

Pesquisam apontam que a principal causa de reclamações dos donos de automóveis novos são os defeitos na pintura. Para melhorar a aparência, proteger a carroceria e o acabamento externo do automóvel é necessário a eliminação de alguns contaminantes decorrentes da aplicação da tinta. 
Os principais defeitos são provocados por partículas rígidas como resíduos de solda, finos de metal, areia, pó; Partículas deformáveis como géis, óleo, silicone; Floculação de pigmentos, fibras e bactérias, que causam imperfeições visuais ao mudar a forma como a luz é refletida. 





As resinas acrílicas, epóxis, alcoólicas e poliésteres são componentes fundamentais para a fabricação de tintas e revestimentos de alta qualidade e a água deionizada ou água de OR é considerada a principal matéria-prima. Seu produto final conta com presença de sólidos de pequeno tamanho (<50μm), que pode impactar na sua qualidade, portanto é extremamente necessário filtrar a água antes de usá-la no processo.



Muitos aditivos e matérias-primas, bases de tintas e vernizes, têm alto custo e requerem polimento antes do uso na manipulação onde temos a aplicação de filtros na retirada de sólidos, géis e coloides. No momento do processo de fabricação, a etapa mais importante é a mistura de todos os componentes, desta forma se faz necessário à filtração seletiva para classificação de pigmen ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade