Prevenção é o melhor caminho para combater contaminação do sistema hidráulico
Edição Nº 90 - Janeiro/Fevereiro de 2018 - Ano XVI
Esta notícia já foi visualizada 4383 vezes.


Prevenção é o melhor caminho para combater contaminação do sistema hidráulico



por Dayane Cristina Fernandes

Segundo estudos, 80% das paradas em sistemas hidráulicos possuem conexão direta com a falta de manutenção e consequente contaminação. Os problemas provenientes da falta de cuidados com os equipamentos são redução da vida útil deles, custos de manutenção e horas de máquinas paradas, ou seja, prejuízo financeiro. Para evitar tais incômodos, conhecer, prevenir e tratar a contaminação é imprescindível.
A contaminação pode ser sólida, líquida e gasosa que muitas vezes, podem ser combinadas. A contaminação líquida ocorre, geralmente, quando água entra no reservatório e isto pode ocorrer diretamente ou quando ocorre a condensação da umidade do ar dentro do equipamento. Quando a água se mistura ao óleo, do reservatório hidráulico, age como catalisador de reações químicas diversas, o que acelera o processo de destruição destes aditivos e consequentemente reduz muito a vida útil do óleo. 
Mas também existe a contaminação por ar, que acontece por cavitação. A cavitação é a formação de bolhas de vapor e posterior implosão das mesmas nas pás do impulsor da bomba. Este fenômeno ocorre quando a pressão estática do fluido bombeado, a uma determinada temperatura, desce até à pressão de vaporização e posteriormente sofre uma súbita subida de pressão.
A contaminação sólida, por sua vez, pode ocorrer em diversos momentos, entre eles durante a construção do equipamento, ou no momento do abastecimento, reabastecimento ou manutenção do equipamento, desgaste interno do sistema, vazamentos e retentores deteriorados ou ainda quando poeira do ambiente entra no equipamento via filtro de ar. O engenheiro da Engefluid, Alex Alencar, explica sobre dois tipos de contaminação sólida: externa ou interna.
“No caso das fontes externas, é fácil identificar sua influência para aqueles circuitos que operam em ambientes muito poluídos, como cimenteiras, mineração, construção civil, certas áreas encontradas na siderurgia, etc. É intuitivo entendermos que num ambiente muito poluído, uma abertura indesejada irá permitir que partículas em suspensão no ar, penetrarão por este ponto. Caso o respiro seja inadequado para o reservatório, também poderá permitir o ingresso de contaminantes sempre que ocorrer uma depressão no interior do reservatório”. E continua.
“Entretanto, mesmo em ambientes muito limpos, como ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade