Freio pneumático em veículos comerciais
Edição Nº 44 - Maio/Junho de 2010 - Ano VIII
Esta notícia já foi visualizada 4382 vezes.


Freio pneumático em veículos comerciais



Sergio Luiz Pazotto

Como qualquer sistema ou equipamento utilizado em veículos pesados, os sistemas de freios evoluíram através dos tempos, passando de sistemas mecânicos para hidráulicos, hidrovácuo, sistemas mistos hidráulicos ativados por ar comprimido e sistemas puramente pneumáticos.
Motivados pela necessidade de acompanhar o desenvolvimento do transporte com as novas descobertas tecnológicas, foi necessário superar limites uma vez que o interesse comercial exige um transporte seguro do maior volume de carga no menor tempo possível, com um custo cada vez mais reduzido, sem esquecer do conforto não só do motorista como também dos passageiros.
A indústria automobilística de veículos de carga e passageiros responderam com veículos cada vez maiores em poder de transporte, potência de motores e níveis de equipamentos pneumáticos projetados para aplicações que necessitam de uma parada suave e proporcional, e versatilidade de torque, uma vez que podem trabalhar com pressões  de 0,5 a 10 bar. Outros equipamentos acionados por ar comprimido foram desenvolvidos para estes veículos, como caixas de câmbio, suspensões pneumáticas, portas, freio de estacionamento, sistemas ABS e ASR etc..
Frear um veículo em condições de trabalho não é uma tarefa simples. O que possibilita isso é um sistema composto por tubulações, mangueiras, válvulas, cilindros, reservatórios e sistemas auxiliares que trabalham de forma sincronizada para que possam proporcionar uma frenagem uniforme e segura até a parada. A fonte de ar comprimido para alimentação do sistema é realizada por um compressor que têm capacidade de gerar ar comprimido a partir de 150cm3 até 600 cm3, tracionado pelo motor através de correia ou engrenamento e a lubrificação vem da  bomba de lubrificação do motor do veículo.
Os compressores veiculares podem ser refrigerados a ar ou através do sistema de arref


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade